Pix completa 3 anos e poderá ter novos serviços

Saiba quais são as ferramentas que estão em desenvolvimento para o serviço e quais são as melhorias no futuro.

Pollyanna Brêtas pollyanna.bretas@extra.inf.br

2023-11-20T08:00:00.0000000Z

2023-11-20T08:00:00.0000000Z

Infoglobo Conumicacao e Participacoes S.A.

https://extra-globo.pressreader.com/article/281526525792954

PRIMEIRA PÁGINA

▶ Faz um Pix. Aceita Pix? Qual o seu Pix? Nos últimos três anos, estas foram as frases mais faladas e ouvidas pelos consumidores. Desde o seu lançamento, o meio de pagamento instantâneo e gratuito — que começou a operar em novembro de 2020 — bateu recordes e já superou todas as outras modalidades: saques em dinheiro, transferências por TED ou DOC, boleto bancário e até transações com cartões de débito e crédito. Hoje, são mais de 155,8 milhões de usuários cadastrados. E, em um único dia, já houve 163 milhões de operações. Segundo dados do Banco Central (BC), de 16 de novembro de 2020 até 31 de outubro de 2023, foram realizadas 66,5 bilhões de transações via Pix, movimentando R$ 29,7 trilhões na economia brasileira. Já há mais de 674 milhões de chaves Pix, a maioria usando números aleatórios. O sucesso nos números também apresentou desafios à segurança, com a disseminação de toda sorte de fraudes e golpes envolvendo o Pix. Isso tem levado o Banco Central e as instituições financeira a tentarem expandir as camadas de segurança das operações, e reduzir as perdas com criminosos. Para além dos dados econômicos e a utilização convencional, o Pix tem sido empregado como ferramenta para usos inusitados, como transferências de baixo valor para envio de recadinhos de amor, paqueras e pedidos de casamento. Até advogados já usaram chaves Pix para localizar as partes envolvidas em processos de Direito de Família. Linconl Rocha, presidente da Associação Associação de Gestão de Pagamentos Eletrônicos (Pagos), o Pix ajudou na bancarização e na popularização dos meios de pagamento digital. — Ele é mais mais prático de usar, mais fácil fazer do que um TED. O Pix concorre com o dinheiro, e mesmo com as maquininhas de cartão — diz. Walter Faria, diretor adjunto de serviços da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), lembra que a implantação do Pix em meio à pandemia de Covid-19 ajudou a bancarizar a população que estava à margem do sistema financeiro: — Foi um instrumento de inclusão importante. O empreendedor Wanderson Wigande, de 43 anos, diz que o Pix está sendo um grande aliado em seu bar: — Ele representa 45% das receitas mensais. Na hora dos pagamentos, utilizamos o Pix em até 80% dos casos. Este modelo aumentou a eficiência da empresa. O recebimento dos recursos é imediato, e isso melhorou o fluxo de caixa.

pt-br