Extra Digital

Atividades simples que ensinam

▶ De acordo com a pesquisadora Ana Luiza Colagrossi, diretora do Instituto Idor, essa intervenção pode ser útil para todas as crianças.

São atividades variadas, como músicas, jogos e abordagens na rotina que conseguem trabalhar conceitos complexos fortalecendo essas habilidades pela repetição diária na escola. Colagrossi dá três exemplos simples: a canção “Cabeça, ombro, joelho e pé” ganha uma versão “Cabeça, ombro, coração e barriga”, com as regiões em que a criança manifesta fisicamente algumas emoções, onde surge primeiro aquele “aperto”. Isso gera uma consciência corporal e ensina os pequenos a identificar sinais que o corpo dá quando algum sentimento mexe com a gente.

Tem também a brincadeira de estátua “com emoções”. Assim, quando a música para, tem que ficar na pose, mas demonstrando emoções por meio de expressões faciais.

Outro exemplo: é normal a criança se deparar com coisas que não consegue fazer, seja amarrar o sapato ou ler. Dentro desse método, os professores são estimulados a identificar essas situações e usar “o poder do ainda”. Significa reforçar com essa criança, que ela “ainda não consegue amarrar o sapato” e “ainda não consegue ler”. Parece pouco, mas é uma mudança de perspectiva que promove a resiliência e a autoconfiança, e mostra que a aprendizagem é um processo.

BEM-VIVER

pt-br

2023-11-19T08:00:00.0000000Z

2023-11-19T08:00:00.0000000Z

https://extra-globo.pressreader.com/article/281861533240213

Infoglobo Conumicacao e Participacoes S.A.