Extra Digital

O CLONE

Para interpretar o ex-lutador de MMA Anderson Silva em série, ator de Duque de Caxias precisou perder dez quilos de músculos e contracenar em inglês

Naiara Andrade naiara.andrade@extra.inf.br

‘Precisavam de um ator negro, careca e de corpo atlético. Na hora, pensei: ‘Esse cara sou eu!’”, conta William Nascimento, de 30 anos, ao lembrar como soube dos testes que o levaram a conquistar o primeiro protagonista de sua carreira. Detalhe: concorrendo ao papel com quase outros mil candidatos, ele nem tinha ideia de que o escolhido pelo diretor Caito Ortiz e pelos produtores executivos de “Anderson Spider Silva”, incluindo o próprio campeão mundial de MMA, contaria a vida da lenda do esporte na série que estreou na última quinta-feira, na plataforma de streaming Paramount+.

— Eu só descobri na terceira etapa, e vibrei pela oportunidade de interpretar um ídolo — conta o cria de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, hoje morador de Bonsucesso, bairro da Zona Norte do Rio: — Muita gente já tinha me dito que eu lembrava o Anderson, mas eu ouvi do próprio que pareço ser o clone dele (risos).

O porte físico, no entanto, precisou de um pequeno ajuste: com 1,80m de altura e 80kg, William teve que perder dez quilos de músculos para as gravações, que aconteceram em agosto e setembro do ano passado, em São Paulo.

— Sempre fui bem forte, faço musculação desde os 17 anos. Anderson é mais sequinho, então passei por um processo de emagrecimento, acompanhado por nutricionista e personal trainer — explica ele, que, seis meses antes de entrar no set, passou a se dedicar com afinco a aprender artes marciais: — Eu me apaixonei pelo esporte ainda jovem, por causa do Anderson. Sempre que tinha luta dele, eu parava tudo para ver. Mas nunca tinha praticado. Por causa da série, me empenhei a aprender muay thai, jiu-jítsu, capoeira, boxe, kickboxing... E até hoje sigo no jiu-jítsu.

Como Anderson Silva mora em Los Angeles (EUA), o contato entre os dois deu-se virtualmente no período de preparação de William para a série em cinco episódios.

— Além de morar nos Estados Unidos, ele estava gravando um filme no Canadá ou México, se não me engano, como ator também. Então, não tinha como a gente se encontrar. Eu mandava pra ele os vídeos dos meus treinos, ele elogiava, dava dicas para corrigir a postura... — detalha William, contando que não precisou alterar seu jeito de falar: — Minha voz não é tão mais grave que a dele, então não teve necessidade.

O grande desafio, conta o ator, mais do que as tantas cenas de performance de luta, foi ter que interpretar em inglês:

— Eu não domino o idioma. Então, fiquei tenso, precisei da ajuda de uma professora particular. E o Dudu Azevedo (intérprete do lutador Rodrigo Minotauro na série) se tornou um grande amigo, me encorajou muito.

Além das semelhanças físicas, William diz que viu muitos pontos em comum entre a sua história de vida e a do campeão mundial de MMA.

— Nós dois viemos de famílias estruturadas e humildes, que nos apoiaram para realizar nossos sonhos. Antes de ser ator, fui modelo, motorista de aplicativo, garçom, barman... E também venci, a meu modo — afirma o artista, todo orgulhoso.

<< Eu me apaixonei pelo esporte ainda jovem, por causa do Anderson. Via todas as lutas dele>>

<< Antes de ser ator, fui modelo, motorista de aplicativo, garçom, barman>>

SESSÃO | EXTRA

pt-br

2023-11-20T08:00:00.0000000Z

2023-11-20T08:00:00.0000000Z

https://extra-globo.pressreader.com/article/281822878536378

Infoglobo Conumicacao e Participacoes S.A.